quinta-feira, junho 11, 2015

O Sofá..




Entre um gole e outro com muita alegria...
Os meus pensamentos te queria...
Ela me olhava e eu sorria...
Ela me abraçava e eu arrepiava..
Suas mãos nas minhas brincavam..
Já era tarde e a madrugada era fria...
Sedenta de desejo em um estreito sofá seu corpo me recebia ..
Senti suas pernas feito alicate em torno de minha cintura...
O sexo latejante ,úmido ao meu reclame...
Foi então que suas mãos tocaram a base de minha nuca...
E seus lábios deslizaram pelo meu pescoço...
Arrepios ,frios,medos se espalharam pelo corpo...
Os pelos erriçados,davam a noção do quanto estava entregue...
Mãos poderosas que me deixavam completamente exposta...
Levemente o meu corpo foi se tornando um vulcão em erupção...
Algo de malignidade foi se apoderando ..e foi então...
Que o rugido dos animais famintos desestrangulou minha alma...
Puxei a  pela cintura ...
Meus sentidos eram desordenados ,não tinha manual,regras...
Apenas o sentimento dos predadores ...
No ritmo desafinado ,bocas que se mordiam,mãos que se queriam,corpos que ardiam em desejo luxurioso...
A língua ferina invadia a cavidade úmida,as mãos rondavam o cume de ponta durinha...
A boca salivava enquanto os olhos desejavam...
Uma guerra onde tudo traria paz...
Segurando firme em seus cabelos ,mordendo ferozmente a carne que se contorcia...
Indo cada vez mais fundo ,mais rápido,diminuindo, fazendo seus olhos implorarem ,suas entranhas chorarem...
Sim era dolorido, convulso,delirante...
Afasto-me por um segundo , e logo sua mão tremula afunda meu rosto entre as suas pernas...
Gemidos,gritos dançavam pelo ar...
Boca nos seio mordendo ,sugando, lambendo...
Os dedos em ritmo desordenado adentravam a umidade daquela boquinha que mordia,engolia,feito animal depois da hibernação,faminta...
Querendo cada vez mais forte,mais fundo ,mais rápido....
Um ,dois,três dedos possuindo a boca que se contorcia a cada investida feroz...
Seus olhos implorando cada vez mais ...
Enfim mato minha sede ao sentir a sua fonte escorrendo em meus lábios...
Delicio-me com cada gota de seus espasmos....
Minha língua dança em triunfo pelo cume quente,durinho e convidativo...
Você se move em sentindo de fuga ...
Eu te puxo de volta e me aninho querendo fazer parte do seu rio.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!