sexta-feira, maio 29, 2015

Dia de Chuva !!!





Era uma manhã cinzenta, fria , chuvosa ...
Mas em meio ao cinza das horas Flora e rosa tornavam o dia mais colorido..
E logo...
Flora beijava levemente o pescoço, deslizando a língua solvendo cada centímetro daquela pele..
Um gemido suave escapou a boca de Rosa que abriu as pernas,lhe dando boas vindas a sua parte mais intima...
Flora se ajoelhou enfrente a ela,passando a toalha morna por dentro de suas coxas...
Fazendo com que Rosa a desejasse novamente..
Flora afagava mais para cima,roçando levemente a parte de Rosa que ficara molhada para Flora...
Rosa fechou os olhos quando a toalha morna foi retirada e um ar fresco passou por sua pele...
Flora foi para outra coxa,acariciando até a parte de cima e parou...Rosa gemeu suavemente...
O calor do tecido cobriu seu centro ansioso.A mão de Flora se pressionou contra Rosa,os dedos provando sua entrada através do tecido...
Com um suspiro ,Rosa se moveu em direção a Flora...Ela a queria outra vez..
Rosa tremia conforme Flora passava o tecido por sua fenda...
Cuidadosamente ,ela explorou cada dobra,cada vinco ,circulando a carne macia com a toalha morna até que Rosa gemesse e mordesse os lábios...
Aquela deliciosa tensão mais uma vez cresceu por dentro de Rosa,deixando-a sem fôlego e aguçando seus sentidos..
O mais leve toque quase a fazia perder o controle...
Quando Flora retirou o tecido ,Rosa demonstrou seu desapontamento...
Flora com seu hálito quente passou por dentro das coxas de Rosa ,momentos antes de sua boca se posicionar ali....
Flora a beijou,seguindo o mesmo caminho da toalha...
Rosa fechou os olhos enquanto uma expectativa do que estava por vir à fez queimar por dentro...
Rosa sonhava com aqueles momentos...
Flora procurou sua fenda e Rosa mordia os lábios conforme ela passava a língua por seus grandes lábios...
O pulso de Rosa acelerou e ela se contorceu enquanto Flora com os lábios,os dentes,a língua ,explorava seu terreno mais intimo...
Finalmente Flora alcançou seu ponto de prazer...provocando o seu clitóris ,circundando-o até que os quadris de Rosa encontrassem o ritmo que a trouxesse de volta ao clímax...
O prazer transbordou através dela em uma onde que se formou,percorreu e se quebrou com uma intensidade de partir o coração...
Flora se posicionou ao lado de Rosa .Pretendia deixa - lá se recuperar depois do 1°round ,mas Rosa se mostrou tão excitada enquanto Flora a limpava ,que Flora começou a beija - lá novamente...
O odor que ela exalava a havia distraído, até que Flora começou a experimenta - lá...
Flora  lambeu os lábios e segurou os seios de Rosa,tentando ao maximo ignorar sua incontrolável excitação...
Rosa rolou para cima de Flora ,seus lábios roçaram a testa ,enquanto suas mãos acariciavam os seios de Flora...
Flora num impulso jogou Rosa na cama,um calor derretendo se armazenando no corpo dela...
Afastando as pernas de Rosa ,Flora se posicionou na abertura dela. Flora tocou Rosa entre as pernas ,encontrando-a toda inchada,quente e muito molhada....
Rosa se inclinou para frente levemente,enquanto Flora a penetrava,com um movimento Flora se colocou totalmente dentro de sua cavidade aquecida...
Rosa se enterrou contra os dedos de Flora ,experimentando usar o quadril...
Os músculos dela se apertaram em torno dos dedos de Flora..Ela se movia com crescente velocidade enquanto o rubor sexual lhe cobria a pele...
Quando Rosa entrou em colapso ,sua fenda se apertou em convulsão ,Flora sentiu o gosto de um abismo de prazer escorrer por seus lábios e estrangular seus dedos...
Quando o longo orgasmo terminou,Flora a embalou enquanto o coração voltava ao compasso ..
Atordoada,maravilhada pelo sexo incrível que jamais tivera..
Por fim Rosa se moveu ,quebrando a união,aninhou-se nos braços de Flora lhe cobrindo de beijos...Um silêncio calmo as envolveu ,Flora afagou uma mecha dos cabelos de Rosa por entre os dedos e um suspiro as adormeceu.


quinta-feira, maio 28, 2015

O beijo !!!!


Visita Nortuna...




As sombras transportam você a mim....
Lá fora a tempestade se aproxima a cada instante...
Como areia das ruas que passam por baixo de minha porta....
Logo em minha frente vislumbro duas dunas....
Ergo as mãos e sinto - as firmes e macias...
Tragoa a mim num solavanco delicado...
Enrosco - me como uma giboia esmagando sua voz...
Um mito, um desejo, uma deusa de sombras e areias...
Vinda do inexplicável de minha doce apaixonada alma....
Carne arisca,pele vulcânica,lava deslizante...
Possui minhas vísceras famintas de amor...
Frios, arrepios, vazios, ardor, tremor, delirio,amor....
Tortura gostosa, sabor inexplicável...
Calor insuportável...
Apossasse dos seios firmes com a boca...
Enquanto a sua voz abafada corta em suplicas e desejos pelo ar...
Sua gruta transbordando em meus dedos....
Uma dança sedutora me envolvia cada vez mais....
Me fazendo quere lá delirantemente a cada instante...
Seus beijos mistérios indisvendaveis me entorpecem...
Uma cruzada sem fim em seu mundo...
Sem mapa, sem bússola, sem coordenadas...
Apenas o instinto da carne....
Após horas percorrendo ....
Chega se ao cume , hastio uma bandeira branca ....
Que tremula com a brisa acalma de sua respiração....
Ao fundo um tum tá melodioso...
Agora cadenciado, compassado, ritmado....

A deusa de sombra e areia se esvai por debaixo da porta me deixando apenas com a escuridão de meus pensamentos.

quarta-feira, maio 27, 2015

Ainda pulsa...


  
                                               

O paradoxo do amor...

Diante das incógnitas...

Diante do obscuro...

Perante as lamurias dos vícios...

Subitamente escorre entre os luxuriosos pensamentos...

Pecados virtuosos dos sábios sussurros....

Doçura açucarada em lágrimas derramadas....

A tristeza embriaga a alma...


Da razão perdida pelo amor instalado...

Dos enigmas não desvendados...

Da destreza contemplada....

Do vinho as águas destemperadas....

Das gotas marcadas na face cansada...

O sentido das complexidades mal interpretadas...

Dos rumos, caminhos,estradas sem chão a cada passada...

Esgotada apenas pela madrugada....

Absorvida por tamanha emoção...

No fim de cada gota derramada...

Recebe a dor como gratidão...

Mas o amor esse segue pulsante, vivo, permanente  em alma.  

terça-feira, maio 26, 2015

Por aí...




Vivo o tormento da espera...
A ânsia de não poder procurar....
A verdadeira razão do silêncio ...
Porque não quis escutar...
Lancei-me de ponta-cabeça em busca de um abrigo...
Mas as ruínas eram tantas que me perdi nesse labirinto e não sei como voltar....
Entre sorrisos e lágrimas muitos suspiros e dor...
Vou recolhendo na caminhada tudo aquilo que sobrou...
E o tempo,inimigo avança arrasa, magoa e fere...

Abre cicatrizes profundas deixando sem respostas as perguntas de um coração cheio de amor.


segunda-feira, maio 25, 2015

Acreditar !!!!



Um grito sufocado....
Um choro..
Um abraço..
Um eu te amo...
As vezes é importante cometer erros, ser imperfeito..
O que os  tornam perfeitos...
Para você o tempo não tem fim...
Você é única...
É cruel que você possa ir e eu não...
Tenho uma dor insuportável que não consigo expressar...
Aos poucos estou lendo o meu coração...
Entender o que não se tem o que entender...
Vomitar as bílis dos pensamentos ...
Sem querer ser entendida...
Talvez o complexo de tais palavras façam com que nada tenha significado...
Porém o amor quando entendido ..
Deixa de ser natural, poético, sincero, real...
E se torna apenas palavras de alguém que nunca amou..
O racional, as coerências, isso não é amor..
São palavras de alguém que sonha , imagina, idealiza, fantasia o amor perfeito...
Me lanço na imperfeição do meu amor ...
Tornando ele perfeito a única pessoa pela qual choro.

Covardia!!!!!!



Levas te o sono...
Levas te a paz...
Levas te as poesias...
Levas te o sorriso...
Levas te o amor....
Mas...
Deixas te horas vazias...
Deixas te angustia e agonia....
Deixas te lagrimas...
Deixas um coração cheio de dor...
Acreditas te na covardia...
E não naquele que só lhe deu AMOR.


quinta-feira, maio 21, 2015

Noite Passada !




O que me lembro  é...
Quando eu te pego pela cintura e te puxo para mim...deslizo uma das mãos pelas suas costas até a base de sua nuca e puxo seus cabelos enrolando a mão, entrelaçando meus dedos pelos fios ...
Vou com a boca em direção ao seu pescoço e beijo com ardor...
Mordendo passando a língua no seu colo ... Vou tirando sua camisa bem devagarzinho... Soltando seu sutiã pelos ombros e beijando seus seios mordiscando a ponta deles já entumecidos pelo toque, sugando passando ponta da língua e você gemendo... Desço minhas mãos ate seu ventre que agoniza e se mexe em movimentos de encaixe... Seu ventre em arrepio aflito ...mordo suas costelas e beijo toda a extensão de seu corpo que implora pelo toque ... Mas uma vez deslizo meu corpo entre suas pernas que se abrem feito uma passagem secreta , uma caverna quente e úmida que se revela diante de meus olhos, boca cheia d’água minha feminilidade se contorce ao ver tal paisagem deliciosa....você se apoia a parede eu adentro em você com movimentos lentos aos poucos de acordo com a sua dança corpórea vou seguindo o ritmo e intensificando minhas investidas que fazem você gritar, implorar, gemer de prazer...paro por um momento e vejo sua face que implora ,delira ,sofre pelo momento tão esperado...
Enfim meto novamente em você com mais força , te viro colocando seu rosto contra parede... Continuo fazendo investidas em sua boquinha estreita que se prepara para contrair em meus dedos abro mas as suas pernas e penetro com outro dedo , sua entranha se torna areia movediça engolindo meus dedos , apertando forte em seu interior ...
Vejo aquela duna branca se revolvendo e me apodero dela com outro dedo você rebola ,geme, grita por mais e enfim se desmancha de prazer em meus dedos que não saem porque estão presos em seu pulsar...
Deslizamos nos corpos até o chão ...
Agora já são 6h da manhã eu acordo e essa memória me aquece as veias...
E percebo que não fora apenas um sonho...
Ainda me encontro aninhada a você no chão.


quarta-feira, maio 20, 2015

Um Drink !!!!





A fêmea passeava pelas instalações  do departamento médico...
Quando avistou uma estranha em seu uniforme engomado...
A estranha estava de pé conversando com um homem ...
A fêmea foi se aproximando e os olhos delas se encontraram...
A estranha lhe olhou fixa invadindo sua alma...
A fêmea lhe sorriu e baixou a cabeça seguindo em direção ao banheiro...
A estranha se despediu do homem e seguiu a ...
A fêmea abriu a porta de um dos sanitários e se deparou com a estranha arrumando seu coque diante do espelho... 
Os olhos se seguiam através do espelho, então o silencio é quebrado....
A fêmea diz a estranha: Acho muito sensuais mulheres fardadas corando em seguida a face...
A estranha se vira e diz: gosta mais da farda ou das mulheres se aproximando da fêmea...
A fêmea olha a estranha desbravando cada centímetro de seu corpo parando fixa nos olhos da estranha e diz : vamos tomar um drink que lhe conto.
Na manhã seguinte...
Um raio tímido de sol atravessa uma fresta,quebrando a penumbra do quarto ...
O desejo crescente no peito da Estranha que vislumbra,um corpo seminu,desvirginado pelo feixe de luz quente...
O medo nascendo faz com que a Estranha se afaste do pecado visceral...
Fazendo com que ela fuja para a sacada da sala,porém seus pensamentos são levados pela paisagem de um oceano ,que lhe sopra luxuria em seus sentidos...
As bochechas dela ganham um tom avermelhado,pelo pecaminoso pensar...
Mentalmente a Estranha , imaginou-se ser atravessada por cada côncavo,cada curva do delicioso corpo inerte em leito...
Um toque suave a trouxe de volta das luxurias imaginárias...
Com um movimento lento ela olhou sobre o ombro se deparando com olhos castanhos diabólicos,que a encaravam com uma quantidade indescritível de desejo carnal...
Olhos femininos que caminhavam em sua direção...
A Estranha se inclinou no parapeito da varanda para receber o corpo feminino....
Que a beijou furiosamente...
Vagarosamente lhe despia,trilhando com a boca,deslizando com a língua em cada centímetro de pele exposta...
A Estranha estremeceu ,deixando escapar um gritinho,quando a Fêmea lhe apertou a ponta dos seios endurecidos...
Forçando a Estranha a se virar,a Fêmea passeou com a ponta da língua do pescoço aos dedos dos pés...
A pele da Estranha era como nuvem ,um rio de veias pela transparecia de sua pele,os seios não eram grandes e nem pequenos ,eram de uma beleza dolorida,eram como morangos convidativos a degustação...
A fêmea abocanhava ferozmente porém suave temendo ferir tal delicadeza....
Deslizando os dedos pelos seios da Estranha , ficando cada vez mais atrevida segurava os seios com as mãos...
Os seios dela novamente se retesaram...
De pernas bambas a Estranha se lança por cima da Fêmea ,com os cabelos roçando a face dela...
A Fêmea rolou-a para o lado e pressionou o seu corpo sobre a pele macia...
Como animal enjaulado tomou lhe os lábios ,adentrou a cavidade com a língua,mordendo lhe o pescoço,solvendo o corpo..
A pulsação da Estranha era cresce entre as coxas,inchando-a,umedecendo-a , as partes sinuosas de sua feminilidade...
A Fêmea já não pensava , apenas devorava a carne ,mexendo os quadris no ponto durinho da Estranha e lhe sugando os seios...
Então deslizou o corpo entre as pernas da Estranha ,que se abriu ainda mais lhe servindo a flor...
Beijou-a pecaminosamente o cume intumescido ,quente,pulsante,enquanto com dedos hábeis adentrava as dobras macias dela..
A Estranha se mexia dando boas vindas ,se admirando com a sensação dela apertando-a,preenchendo-a ,possuindo-a...Com movimentos lentificados ,a boca sugando,os dedos entrando,saindo,num vai e vem de satisfação plena...
A Estranha gemia,se contorcia,agarrando a Fêmea com força pelos cabelos,puxando-a para dentro de suas entranhas em suplica...
As palavras escaparam da Estranha sem nenhuma concordância...
Enquanto o desejo crescia,tomava conta de sua alma ,sentidos,carne em febre...
Um som de êxtase engasgava na garganta...
A Fêmea ,movia-se cada vez mais rápido,mais forte,mais fundo,eram dedos ,boca e língua em ritmo alucinado...
Uma dança erótica sem ritmo fixo...
O silêncio é quebrado e a boca da Fêmea se encheu com o doce amargo do pecado e em seus dedos o pulsar da redenção...
Deitadas fitando o vazio ,escutam um som conhecido...
A Estranha ainda tremula solta uma risada...
Os vizinhos que as assistiam,agora gemem na outra sacada.



terça-feira, maio 19, 2015

Tempestade!!!





Era uma brisa fresca e suave pela manhã..
A tarde uma ventania de balançar arvores..
A noite uma tempestade de ventos...
E assim ela se foi ...
E agora???????
Mais um dia de sol...
Mas chove aqui dentro...
O peito adormecido em lágrimas...
Dores e delicias inigualáveis...
Os medos insistentes...
São para argumentar as falsas verdades que se escondem nas folhagens...
As árvores do meu jardim...
Todas zombam de mim...
 Mas eu penas vejo as folhas caídas pelo pátio da solidão...
Porém já é muito tarde...
Para um adeus sem saudade.

sexta-feira, maio 15, 2015

A paciente !!!!




Era um dia de ventos fortes e frios, céu cinzento e mesmo assim a Paciente foi ao consultório...
A médica olhava o relógio e ansiava pela Paciente que ainda não chegará..
Postou se então em sua cadeira de madeira antiga...
Diminuiu a luz do consultório,fechou os olhos criando um clima confortável para se relaxar...
Inclinou sua cabeça para trás e seus pensamentos voaram de encontro a sua Paciente....
A médica beijou-a profunda e vagarosamente e tirou lhe as roupas,colocando a boca e a língua em cada centímetro de carne exposta...A Paciente estremeceu...
A Paciente deixou escapar um murmúrio quando a médica passou a ponta da língua em seus mamilos endurecidos...
A médica pegou -a pela boca,sugando -a até elas se entrelaçarem ,gemendo devagar...
A médica se despiu , depois rasgou as roupas de sua paciente e a deitou sobre a mesa , deixando o peso de seu corpo cair sobre ela...
A paciente girou sobre a médica montando-a  e deslizou os dedos pelos seios dela...
Descendo pelo ventre até a parte misteriosa que estava úmida,quente, endurecida...
Moveu-se para cima da médica ,tocando -a com sua intimidade úmida...
Depois com as pontas dos dedos , ficando mais atrevida, deslizando a mão inteira...
A paciente deslizou para baixo e delicadamente deliciou-se com o sexo úmido da médica,passou os dedos na pontinha dura e sugou furiosamente...
A médica se sentou, segurando os seios da sua paciente, ,mas ela afastou-lhe as mãos...
A paciente fez uma pausa enquanto sua respiração ventilava a carne aquecida da médica...
A Paciente pressionou os lábios na pele macia da médica , se maravilhando com textura, o sabor, a quentura...
Devagar , explorou centímetro a centímetro usando os lábios , a língua, e mesmo os dentes...
A pulsação da Paciente era latente entre as coxas, inchando-a ,umedecendo as partes sinuosas de sua feminilidade..
Quando a Paciente colocou os dedos ,a boca totalmente em sua médica, o quadril dela se ergueu na mesa ...
A médica gemeu agarrando os cabelos da sua paciente..
A paciente se afastou dela...
Um calor subiu pela Paciente..
A médica jogou a sua paciente de costas no carpete ,abrindo as pernas dela e se aninhando entre elas...
A paciente se arqueou quando a médica beijou lhe os mamilos, massageando-os com os lábios...
A médica a tocava em todos os lugares , mordendo a pontinha dos seios,enfiando os dedos em seu triângulo úmido,até a parte que pulsava as suas caricias...
A médica a tocou até que a sua paciente mordeu os lábios fincando as unhas em suas costas, arranhando seus ombros....
A médica juntou a boca a da sua paciente , beijando-a , mordendo seu queixo,enquanto adentrava as bordas macias, molhadas,e quentes com seus dedos hábeis ..
A paciente se mexeu dando boas vindas a ela, enlouquecendo com a sensação dela apertando-a , preenchendo-a...
A médica fez um movimento rápido com a mão e entrou fundo com dois dedos na sua paciente...
Uma dança rítmica,seus movimentos causando pequenas ondulações de prazer...
Um som de êxtase engasgava na garganta ...
A paciente quebrando o silêncio do consultório , seus gemidos no ar ...
Foi então que o telefone da mesa tocou ,trazendo de volta a médica de seu transe...
 Doutora : Oi , pode falar !!!
Secretária : A sua paciente acabou de chegar, posso mandar entrar????
Doutora :Pode sim !!!
A paciente adentrou a porta de seu consultório , com cabelos molhados pela chuva, elas se olharam com desejo na alma latente e os sonhos da médica se tornaram a realidade em meio as horas dá tarde.

quinta-feira, maio 14, 2015

Respirar Você !






No início não era nada,nem mesmo vontade...
Os dias se passaram dando inicio a jogos de palavras ...
O mistério luxurioso instalado na carne...
Um gole aqui outro ali e logo milhões de goles...
Começando assim a dança da euforia..
O corpo em estática se magnetiza com um ímã em busca do mistério..
Sua mente modifica as ideias , os sentidos ..
Mas para que sentidos? Se desejo apenas sentir...
Olhos...
Bocas...
Mãos..
Pele..
Pelos..
Suor..
A dança sôfrega dos que querem...
Unificados pela brisa ardente da madrugada..
Os beijos sedentos cada vez mais impetuosos ...
A peregrinação da língua leva a descoberta de novos sabores...
A alma em chamas suplica ...
O desejo aumentando a cada instante ...
O ventre convulso suga com fúria os dedos que adentram a pequena cavidade estreita ....
As dunas enrijecidas entre os lábios ...
O gemido desconexo...
A guerra visceral ...
Os dedos emaranhados na crina negra toma o controle da alma delirante..
O entra e sai da estreita umidade...
Ao se apossar do cume feroz se entrega ao prazer....
O grito abafado pelo desespero da posse...
Uma loucura insaciável...
O querer,a posse,o delírio, o desejo , a luxuria que nunca acaba...
Sempre dando inicio a um novo ciclo viciante de paixão ...
É assim a minha pintura da alma, que tento inúmeras vezes decifrar ...
Como suicida de alma...
Pendurei a na melhor parede do meu coração...
Me encanto pelo que não vejo...
Desejando todos os dias apenas ...
O seu beijo !