quarta-feira, julho 31, 2013

Jardim de Inverno...





Era  uma manhã de inverno onde o sol aquecia as poucas flores do jardim...
Eu observava  ela  da minha janela , o sol lhe banhava o corpo de pele alva lhe dando um ar de frescor, os seus  cabelos  a brisa insistia em brincar ...Ela sem saber mexia com os meus pensamentos mais sórdidos, minha umidade era fervente levando todo o frio do inverno embora...Chamei por seu nome, ela se virou sorrindo....era um sorriso que iluminava todo o meu ser ,que enchia o meu peito de alegria ,paixão, desejo e querer...
O certo é que eu não podia evitar a forte e irresistível tentação de beija-lá.O amor estava ali,no arrebatamento dela,no seu olhar fascinado , na boca tremula que se apertou contra a minha,roçando a língua num desespero de beijo sonhado há muito tempo.
Ela esmagou a boca contra a minha e suas mãos seguram firmes o meu rosto, senti todo o calor do seu corpo. Minhas mãos ardilosas,atrevidas ,impulsivas, subiram lentamente ,sem esforços ,ao encontro dos seios, tomando-os com cuidado,acariciando com a destreza daquilo ao qual fui projetada,mexendo –os e recebendo os respiros e estremecimentos dela.
Ela afastou a boca,beijou meu rosto,mordiscou meu queixo,gemeu palavras sem sentido,de prazer insufocavél,enfiou a língua ferozmente em minha boca.
Minhas mãos desceram,minha boca encontrou os seios e ela gemeu com o mais delicioso dos pecados.
Com a ponta da língua pincelei os mamilos ,ela quase levantou da cama,então a puxei até meus lábios e suguei por quase uma eternidade ,indo de um seio ao outro.Soprei os mamilos dela eretos ,que brilhou,escorreguei minha mão para parte baixa do ventre dela, o corpo dela se ergueu,parei com as mãos quentes e firmes na pele dela,espalhei os dedos cobrindo toda a fenda úmida.
Deslizei a mão pela coxa dela,adentrando a calcinha,enquanto eu a beijava o ventre,os dedos imitavam a dança da língua acariciando –a intimamente.
As sensações aumentavam dentro dela, desta vez ,formando uma espiral mais e mais apertada ,úmida, inchada,pulsante.Retirei a calcinha rapidamente dela.
Acariciei do pescoço até a cintura,passando por cada curva ,até que meus dedos chegaram à umidade fervente.
Ela se contorcia ansiosa pela minha chegada.Com movimentos hábeis,toquei a parte úmida que ansiava pelo meu encontro.Afastei as pernas e cobri –lhe a umidade com os meus lábios,enquanto deslizava para dentro dela em um só golpe longo, meus dedos ,que com movimentos calmos e controlados ,entraram fundo na intimidade dela,saindo quase completamente antes de golpear novamente.
Ela me agarrou pelos cabelos,enquanto eu fazia a minha mágica ,circundando seu ponto de prazer com a língua ,sugando o cume durinho,adentrando cada vez mais rápido a sua luxuria apertada ,meus dedos eram egolidos pela fome de suas entranhas, ela gemia,e seu corpo se movia num ritmo luxurioso.
Ela entrou em colapso em meus dedos ,sua fenda se apertou em convulsão,empurrando –me a um abismo de prazer tão intenso que achei iria morrer.
Agarrando se firme em meus cabelos, um grito sobressaltado de desespero,ela gozou ,indo aos céus com uma intensidade que a deixou sem ar.
Guardei daquela noite a sensação vertiginosa de me afundar no lago de águas borbulhantes,envolta nos braços dela.
Guardei daquela manhã um olhar de gozo,lábios trêmulos sussurrando gemidos,palavras espaças,a lembrança de um corpo febricitante,enquanto eu dedilhava ,numa morosidade sádica ,o espasmo que não queria deixar aflorar de vez.Até que a suplica torturada ao corpo vibrava aniquilando toda a resistência, e ela se debateu no gozo.
Guardei na lembrança o sexo ,de vontade invencível,de prazer insuperável,de amor gemendo na carne.

Um comentário:

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!