quinta-feira, agosto 02, 2012

Linguas malditas...

Na selva de pedra as línguas malditas... Eu mostro meus sentimentos como numa bandeja, à espera de alguém que aceite pegar o inteiro que nunca ninguém o quer... Mas quando vem alguém e quer me levar sem questionar o tamanho,o gosto,as calorias , eu só penso na futura indigestão... Quero voltar para as bandejas engorduradas, a servidão sem degustação, ver todos os alimentos indo embora e eu ficando mais uma vez... Esses rostos que me cobiçam, os olhos que reluzem, as ilusões que se formam, as expectativas que eu deixo criarem, são minha vida... Depois disso só resta à rotina e o medo de estar perdendo a melhor parte.... Então o veneno invade queima arde nas veias.... Acelera a pulsão,peito apertado,medo do futuro ,medo do passado... O coração em metade ,as vísceras contorcidas... Os sintomas embriagam a corpo... Suicida da alma... Inerte febre que consome... O grito ao vazio da escuridão... Volto às bandejas para degustação... São gostos,sabores,paladares e a ignorância da multidão.

Um comentário:

  1. Re, postagem interessante, crítica, ácida!!!Gostei dessa passagem: "Eu mostro meus sentimentos como numa bandeja, à espera de alguém que aceite pegar o inteiro que nunca ninguém o quer... Mas quando vem alguém e quer me levar sem questionar o tamanho,o gosto,as calorias , eu só penso na futura indigestão..." Beijos, Ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!