sábado, julho 28, 2012

Capitulo 4: Lembranças e o fim..

Singer sentada a sua mesa lembrava que sempre que elas fechavam a loja,os beijos tornavam-se mais selvagens ,ardentes,quase sangrentos era uma loucura febril. Era assim : Gina enterrando se no seu corpo,remexendo –se nos pequenos espaços da loja.Bocas grudadas,línguas como cobras tentando se enroscar uma a outra,mãos que puxavam pela nuca,ela eufórica pelos sentidos alertas da fúria do desejo sexual,mão enfiada por baixo da camisa buscando os seios ,outra enfiada dentro da calça,metendo os dedos pela calcinha de elástico alargado,adentrando a caverna ,alisando com precisão da pratica e do conhecimento das zonas erógenas ,o clitóris intumescido. Na exaltação ,um susto ! Bateram a porta da loja. Se recompuserem e foram atender porém era apenas o vento . Singer se afastou de Gina durante um mês.até hoje ela não sabe como passou esse mês.Sabe se apenas que certa noite ela foi à casa de Gina e nem chegou a chamar,porque de repente Gina desce as escadas e entra em um carro amarelo parado enfrente a sua casa. No dia seguinte Singer liga marcando um encontro na velha praia onde o amor delas reinava.Gina deu as primeiras palavras ,As mãos uniam se e desuniam se era como um dialogo de mãos que tremiam de saudades.Em meio a conversa Gina conta que já avia alguém em sua vida,choraram muito ,Singer implorou pelo seu amor,a queria como nunca imaginou ser possível.porém já era tarde demais.Singer pergunta em prantos porque vamos nos separar?Porque nosso amor não pode mais ser? Sem resposta ,beijaram se com sofreguidão.Gina a abraçou,e Singer sentiu como mais um adeus.Era um adeus ,das mãos que levavam as dela ao rosto para afagar lhe as nadegas,das mãos que conduziam as delas aos seios,das mãos que lhe ofereciam todo o corpo para que Singer amasse,beija se , possuísse. Conversaram muito sobre a situação,porém os problemas pareciam insolucionaveis,os obstáculos intransponíveis.Gina via as lagrimas deslizarem pelo rosto de Singer , o que a fez suspirar e se aproximar ,lábios estendidos para beija lá. Foi uma loucura porque naquele beijo Singer não sentiu o desespero dos outros beijos,mas um sentimento novo cultivado por Gina ,talvez um dos menos esperados e humilhantes ,para doar de seu amor que já não era infinito: pena pela lagrima que Singer desprendeu de seus olhos. Elas passaram a tarde juntas,as 17:30 h foram embora cada uma para o seu lado. Tudo havia acabado,o coração de Singer eram apenas fragmentos de uma alma cheia de amor.Era o fim. Singer estava se debatendo ,e sabia que não adiantava ser eximia nadadora,porque iria morrer afogada.Ela jamais conseguiria nadar contra a maré do oceano em revolta ao qual se lançou sem salva vidas. Conta a historia que durante aquele mês,Singer resolveu se afastar de Gina ,que ligava ,pedia para vê lá, sofria por ela,e Singer tentando se encontrar e quanto mais se procurava mais se perdia , e sim perdeu o que a encontrava o amor de Gina.Elas se encontravam ,tentavam voltar,Singer via o pranto convulso naquele rosto. Sentia o frio rasgar as entranhas o corpo inteiro.Singer estava despedaçada por dentro intuitivamente sabia o que estava acontecendo : O fim de tudo ,não do amor!...

Um comentário:

  1. Re, acompanhando a história, que chamo de um livro muito bem escrito de romance, entre outros aspectos... enfim, acompanhando a história percebo como vc da vida aos personagens de modo sutil, sensível e com profundidade vivida... gostei muito dessa postagem, principalmente da frase final.."O fim de tudo ,não do amor!..." Até aqui, ainda nao sei o conteúdo todo do significado da frase, mas se fragmentada do texto e tb, talvez, no contexto da história, penso que o fim de tudo realmente pode nao ser o fim do amor... o amor pode mudar de intensidade, o sentimento muda de intensidade e de contexto, mas pode permanecer... será que este seria o caso de Singer e Gina? Veremos nas próximas postagens ne?? rsrsrs... ótimo!! Parabéns!!! Beijos, Ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!