sábado, junho 23, 2012

Fruta amarga...



A brisa leve eriça o corpo nu...
As mãos frias submergem a alma atormentada...
Os pensamentos eloquentes sussurram ao tempo..
Tempo em que o sorriso era frouxo  ...
Onde o mundo era um algodão doce....  
Uma criança que brincava com nuvens....
Um pecado em outrora...
Torna um sonho pesadelo vivo...
Noites e dias...
Senti a pele fria...
Petrificada, seca, amarga...
O que lhe sufoca e o que lhe aquece...
O que lhe dói é o que lhe cresce..
O que lhe dá vida o AMOR.


Um comentário:

  1. Re, poema que busca na amargura, a essência do ser humano aquilo que ele realmente é, ou seja, a essência da suavidade das ações humanas, que vc expressa maravilhosamente nesta passagem: "Os pensamentos eloquentes sussurram ao tempo..
    Tempo em que o sorriso era frouxo ...
    Onde o mundo era um algodão doce....
    Uma criança que brincava com nuvens...." Lindo!!! beijos, ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!