quinta-feira, junho 28, 2012

Liberta....



Aqui estão os meus membros aprisionados...
Sempre haverá partidas e chegadas...
Aqui estão os meus pensamentos aprisionados...
Sempre haverá perguntas sem respostas...
Aqui estão os meus versos aprisionados...
Sempre haverá amor e ódio...
Aqui estão os meus anos aprisionados...
Sempre haverá lagrimas e sorrisos...
Aqui estão as minhas historias aprisionadas...
Sempre haverá vida e morte...
Por isso me liberto dessa prisão.

terça-feira, junho 26, 2012

Sofrimento....





Contra tempos há tempos...
Perdido em algum lugar o mito...
Chuvas que ferem os arquivos do lamento...
Sem achar respostas ao encontro da solução...
Sonhos cortados ao meio pela brisa letal...
Macã deteriorada no cesto...
Purificada pela aurora...
Cantiga aprisionada que emerge na simplicidade das horas...
Restaurar os perdidos achados...
Inflamar artigos banais...
E simplesmente esquecer os místicos ancestrais.


Alma Perdida...



A mente nos prega umas pecas...
Entre sorrisos e lagrimas...
Descontrole da alma...
O medo do oculto que só faz crescer...
Ter, poder, querer, ser...
Delitos de sobrevivência...
Conflito da verdadeira chama...
Clamor divino infame...
Perpetua em Mármore negro...
Frio,sombrio,eterno.

domingo, junho 24, 2012

Pesadelos...





Já era noite...
Deitada sobre o macio seio se aninha ...
O peso do sono bate a porta...
O véu da noite embala as cantigas de ninar...
Respiração profunda, medo de dormir...
Seu corpo se aperta ao dela....
Entregasse ao embalo....
Ritmo desordenado...
Os pensamentos tortuosos mixam o sonho...
É confuso, dolorido, perturbador, incrédulo...
Não se controla....
Não há saída....
Desesperada se debate ...
Agoniza no leito...
O tempo não passa..
As horas se arrastam...
O pesadelo termina ao ser acordada pela voz aflita.


sábado, junho 23, 2012

Fruta amarga...



A brisa leve eriça o corpo nu...
As mãos frias submergem a alma atormentada...
Os pensamentos eloquentes sussurram ao tempo..
Tempo em que o sorriso era frouxo  ...
Onde o mundo era um algodão doce....  
Uma criança que brincava com nuvens....
Um pecado em outrora...
Torna um sonho pesadelo vivo...
Noites e dias...
Senti a pele fria...
Petrificada, seca, amarga...
O que lhe sufoca e o que lhe aquece...
O que lhe dói é o que lhe cresce..
O que lhe dá vida o AMOR.


quarta-feira, junho 20, 2012

Faz frio sem você...


Frio...
Muito frio...
O meu corpo embriagado com o perfume do seu néctar
As mãos ainda entorpecidas pelo calor de suas entranhas...
A sensação de pulsar ainda vibra meus sentidos...
As horas seguem sem você...
Um saudosismo dos momentos em que tinha meu corpo largado em seus braços...
A mente pira em pensamentos ardentes...
Sinto a linha abaixo do equador sendo inundada...
Deslizo lentamente ao ponto de combustão e sinto a presença dolorida dessa tarde...
Sorrio e visualizo os seus lábios macios sugando o cume durinho...
Os seus dentes mordiscando a carne em chamas...
A sua língua passeando pelos espaços intercostais...
Arrepio, frio, desejo...
Completamente envolvida  sinto suas digitais em minha pele...
Marcas marcadas pelas forcas indomáveis do desejo puramente carnal....
Adentrando, possuindo cada vez mais fundo ,mais forte,profanando o santuário  de luxuria...
O rosto pegando fogo, e você em brasas me deflorando com a fúria do desejo incontrolável...
Uma, duas, três, quatro vezes e meu corpo convulso em seus lábios e dedos implorando e sucumbindo cada vez mais para que não tenha um fim....
Ca estou agora desejando o desejo já saciado...
E contando os segundos para o seu retorno  com o fogo do amor indomável.



Já deu...


É estranho....
É dolorido...
É impossível...
É um sentimento indefinido...
Se já...
É já se foi...
Um complexo descomplexado...
Um sonho em preto e branco...
Um colorido desbotado...
Um tempo...
Um pouco...
É estranho...
É acido...
Corroeu o já corroído...
Perdeu o gosto o sentido...
É já deu.