quarta-feira, maio 23, 2012

Leito ...

Deite se no leito da morte... Despeça se de sua alma.. Negligencie suas regras... Rosne ao seu coração.... Salive antes de saborear a carne... Deslize pela subjetividade das horas... Agonize na memória... E quando o tempo passar... Rebele a sua vingança cicatrizada... Faça oferendas aos deuses épicos.. Torne se submissa ao choro... Rasgue as sombras,trinque os dentes e absorva a esperança.

Um comentário:

  1. Re, ótimo poema, profundo, parece revelar a alma de um guerreiro, como na imagem... gostei da passagem: "Rasgue as sombras,trinque os dentes e absorva a esperança" A esperança deve ser absorvida e expelida num processo continuo... absorver/expelir sempre... Beijos, Ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!