quinta-feira, abril 19, 2012

O amor ...


É como uma flor que desabrochou da solidão..
É como um raio sem direção..
É como um eco na multidão...
É como uma melodia sem canção...
É como uma poeira de emoção...
É como tocar dois lábios em meio à chuva e ainda assim sentir o gosto,o calor...
É como um labirinto de sensações...
É o inicio,o meio,o mágico,o encantado,o fantasioso,o simples....
É a luxuria vinda das profundezas...
É o sangrar da carne sem explicação...
É sofrer ,doer,arder,queimar a alma por noites sem fim..
É ter mil e uma historias sem roteiro pré-definido...
É ir ,vir,sorrir,chorar,enlouquecer,se esquecer,relembrar,desejar e se perder...
É na verdade se permitir viver.

Um comentário:

  1. Re, poema suave... gostei dessa passagem para descrever o amor: "É na verdade se permitir viver." Adorei... beijos, Ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!