terça-feira, abril 10, 2012

Dê seu mundo ao balão...



Estoure os balões da dita felicidade..
De dentro dele ecoa as gargalhas da falsidade,da imoralidade...
O balão repleto de ignorância..
É absorvido pelos corações vazios...
Cheio de inveja,falsidade,hipocrisia ..
A tragédia está concretizada..
Aplausos aos tolos seguidores ...
Vejo de longe um único balão subindo,subindo bem rápido quase que na velocidade da luz..
Não há como estourar,não há como se tocar se quer na linha que o aprisionava ...
Solto completamente livre...
Livre do ar que empreguina-se de dores,traições,covardias e adulações..
É, apenas um balão destemido,bravo ,não corrompido .. .
Peguem o balão,estourem o balão,sintam o ar em seus pulmões..
Livrem-se do ar contaminado ...
Respirem apenas paixões...

Um comentário:

  1. Re, belo poema que expressa crítica a ausência de espontaneidade nas relações de todos os tipos... sempre falo na ausência de espontaneidade porque acho que é uma das coisas que vc mais critica nas suas poesias de diversas formas... gostei da passagem: "Solto completamente livre...
    Livre do ar que empreguina-se de dores,traições,covardias e adulações..
    É, apenas um balão destemido,bravo ,não corrompido .. .
    Peguem o balão,estourem o balão,sintam o ar em seus pulmões..
    Livrem-se do ar contaminado ...
    Respirem apenas paixões..." Adorei o poema e a critica que ele expressa!!! beijos, Ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!