segunda-feira, abril 30, 2012

Como se é por dentro?

Não sei quantas almas tenho? Um corpo apenas em metamorfose! Sinto-me estranha. ... Nunca me olhei de fora pra dentro... Só tenho alma? Quem tem alma ? Quem vê tem calma? Quem sente não tem alma? Atenta ao que vejo,torno-me apenas eu em cada sonho ou desejo... É de mim que nasce ... Sou meu próprio reflexo! Assisto –me refletida nos espelhos de mim mesma,não sinto aonde estou ... O que passou será que se esquece? Anoto um poema que li... O que entendi,o que eu sei.... Leio novamente e falo: "Será apenas isso”? É fácil escrever as palavras, Difícil é ler o silêncio... É fácil andar lado a lado, Difícil é se encontrar! É fácil dizer:amo-te, Difícil é fazer o coração acreditar! É fácil entrelaçar as mãos, Difícil é manter o laço! É fácil sentir o amor, Difícil é ser amada! Como se é por dentro de outra pessoa? A alma de ontem é um novo universo hoje No fim o que sabemos das almas? Talvez apenas algo da nossa! As dos outros são olhares,São gestos, são promessas,são juras.... Com as subjetividades de cada um.

Um comentário:

  1. Re, poema extremamente subjetivista, recheado de indagações sobre a natureza da suposta 'alma'. Gostei das passagens: "A alma de ontem é um novo universo hoje No fim o que sabemos das almas? Talvez apenas algo da nossa! As dos outros são olhares,São gestos, são promessas,são juras.... Com as subjetividades de cada um." ótimo poema!!! Beijos , Ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!