terça-feira, março 27, 2012

Mar Negro...


Queria tornar a ver o negro manto das águas de idade brilhante...
Queria só por um instante o arrepio tocar..
Sentir o frio cortante e a garganta berrante a sangrar...
A gargalhada na esquina no bar faz lembrar..
À tarde de sol e amigos a vigiar..
Foi terno ,foi lúdico ,foi eterno..
O tempo em que sentir era o amargo doce orvalho..
O que temer ..
O que desejar...
Não há o que fazer...
O vento soprou apenas soprou para longe.

Um comentário:

  1. Nossa Re...melancólico, mas lindo!!! Adorei a intensidade destes versos:"O que temer ..
    O que desejar...
    Não há o que fazer...
    O vento soprou apenas soprou para longe." Beijos, Ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!