quinta-feira, março 29, 2012

Animal...


O que sou?
Sou tudo aquilo que aos olhos do mundo já foi decretado...
Sou o julgamento mundano..
O que fazer para mudar tais determinações?
Talvez gastar saliva..
Usar de palavras populares...
Usar de meu tempo...
Verbos,prosas,citações...
Construir um belíssimo monologo infinito do que sou?
E ai que me pergunto: pra quê? Por quê?
Se nada do que eu verbalize ,faça,vai mudar a concepção já estabelecida mundanamente..
Fazer me ser vista como sou?
Não me dou ao trabalho!!!!!
Afinal se olharem em meus olhos e não desvendarem do que sou feita...
Isso é sinal que o seu pensamento jamais mudará sobre os preceitos de minha existência animal...
Um animal não domesticável..
Um animal sentimental de certo...
Um animal feroz...
Um animal racional..
Um animal curiso...
Porém apenas um animal ..
Que vista com a peculiaridade de sua natureza instintiva se mostra com a mais pura clareza....
No fim o que sou não faz diferença não muda em nada a sua existência.

Um comentário:

  1. Re, poema interessante, gostei bastante...investigações sobre identidade pessoal? Gostei dos versos: "Afinal se olharem em meus olhos e não desvendarem do que sou feita...
    Isso é sinal que o seu pensamento jamais mudará sobre os preceitos de minha existência animal..." Concordo com vc, para entender o outro é preciso perceber e desvendar os sentimentos do outro... beijos, ju :)

    ResponderExcluir

Diga se gostou, aguardo os comentários obrigada !!!